Abrir
Notícias
06Jan
Tarifa Branca possibilita economia para quem usa energia fora dos horários de picos
Imagem13 consumidores da CERRP aderiram à Tarifa Branca

O ano novo começou com uma nova possibilidade de economizar na conta de luz. Desde 1º de janeiro, os consumidores podem optar pela Tarifa Branca com preços variados para a cobrança de quilowatt-hora (kWh). Nesse modelo, os valores são mais baratos fora do horário de pico, mas tem o preço aumentado no horário intermediário e também no horário de ponta (das 18 às 21 horas).

 A tarifa convencional – de mesmo valor ao longo de todo o dia – é de R$ 0,589. Com a Tarifa Branca, a taxa sobe para R$ 1,038 no horário de pico e cai para R$ 0,440 fora do horário de ponta.  Para quem aderir ao novo modelo de cobrança é possível ter uma economia na conta de energia de até 33%. No entanto, o gerente da CERRP (Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de São José do Rio Preto), Nivaldo Cangini,  alerta que só vale a pena quem tem certeza de que irá consumir energia fora do horário de ponta.

 “É preciso ter consciência que a economia somente ocorrerá se consumir energia o tempo inteiro fora do horário de pico”, avisa.  A economia que poderia ser de até 33% pode se transformar em um aumento de até 75% na conta de luz. “Se seguir os horários certinhos vai ter economia, mas se consumir energia no horário de pico o aumento na conta de energia será bem pesado”.

 Vilões da conta

Chuveiro elétrico, ar condicionado, ferro elétrico e forno elétrico. Esses são os principais vilões do consumo de energia. Por isso quem optar pela Tarifa Branca, deve ficar longe desses utensílios no horário intermediário e horário de pico, ou seja, das 17 às 21 horas.

 O engenheiro eletricista da CERRP, Alexandre Sanches, responsável pelo setor de projetos da empresa, afirma que a Tarifa Branca pode ser interessante para quem tem suas atividades no dia-a-dia encerradas às 17 horas. “Se consumir energia após esse horário não compensa aderir à Tarifa Branca”, alerta o engenheiro.

 Poucos aderiram

 Instituída pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) em janeiro de 2018, a Tarifa Branca é uma opção que sinaliza aos consumidores a variação do valor de energia elétrica conforme o horário de consumo.

 Inicialmente somente os consumidores com média anual de consumo superior a 500 quilowattis hora (kWh) podiam aderir à Tarifa Branca. Em 2019, a modalidade foi estendida para quem tinha média anual de consumo de 250 kWh. E desde o dia 1º de janeiro de 2020, todos os clientes ganharam o direito de optar por esta modalidade tarifária. Só não tem direito à tarifa branca os clientes de média tensão, iluminação pública e baixa renda, conforme as regras da ANEEL.

 Na CERRP, desde a medida foi autorizada pela ANEEL, 13 consumidores aderiram à Tarifa Branca. No Estado de São Paulo, até ontem, entre todas as 13 distribuidoras e permissionárias, eram 15.972 consumidores que tinham aderido à Tarifa Branca